• Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
  • Google+ Social Icon

Papa Francisco: Se somos fiéis a Jesus também daremos bons frutos


Papa na Missa. Foto: L'Osservatore Romano


VATICANO - Durante a homilia na Missa matutina na Casa Santa Marta, o Papa Francisco se centrou na missão dos apóstolos e citou o exemplo do Bom Pastor, mas também advertiu sobre aqueles que estão apegados ao dinheiro e não seguem o caminho de Jesus.


Ao comentar a Segunda Carta a Timóteo da liturgia do dia, Francisco falou de São Paulo na fase conclusiva de sua vida: “Sozinho, mendicante, vítima de assédio, abandonado... mas é o grande Paulo, o que ouviu a voz do Senhor, o chamado do Senhor! Aquele que foi de um lugar para o outro, que sofreu tanto e passou por diversas provações para pregar o Evangelho; o que fez entender aos apóstolos que o Senhor queria que os gentios também entrassem na Igreja, o grande Paulo que na oração subiu até o Sétimo Céu e ouviu coisas que ninguém ouvira antes: o grande Paulo, naquele quartinho de uma casa em Roma, esperando esta luta entre a rigidez dos tradicionalistas e os discípulos fiéis a ele acabar dentro da Igreja”.


“E assim – continuou o Papa – termina a vida do grande Paulo, na desolação: não no ressentimento e na amargura, mas com a desolação interior”.


O Santo Padre contou que também aconteceu com São João Batista que “na cela, sozinho e angustiado”, manda seus discípulos perguntar a Jesus se é ele o Messias e termina com a cabeça cortada “por causa do capricho de uma bailarina e da vingança de uma adúltera”.


O mesmo aconteceu com São Maximiliano Kolbe, “que fez um movimento apostólico em todo o mundo e muitas coisas grandes”.


Enfim, “quando o apóstolo é fiel, não espera outro fim senão o de Jesus”, disse para recordar depois que “se o grão não morre não dá fruto”.


“Morrer como mártires, como testemunhas de Jesus é a semente que morre e dá fruto e enche a terra de novos cristãos”, reforçou o Bispo de Roma.


“Quando o pastor vive assim, não fica amargurado: talvez se sinta desolado, mas tem aquela certeza de que o Senhor está ao seu lado. Quando o pastor em sua vida se ocupou de outras coisas que não dos fiéis – por exemplo, apegado ao poder, apegado ao dinheiro, apegado aos centros de poder, apegado a tantas coisas –, no final, não estará só, talvez haja os netos que aguardarão que morra para ver o que poderão levar com eles”.


Em seguida, o Pontífice contou: “Quando eu visito o asilo dos sacerdotes idosos, encontro muitos daqueles bons, bons, que deram a vida pelos fiéis”.


“E estão ali, doentes, paralíticos, na cadeira de rodas, mas logo se vê aquele sorriso. ‘Está bem, Senhor; está bem, Senhor’, porque sentem o Senhor muito próximo a eles. E também aqueles olhos brilhantes que têm e perguntam: ‘Como está a Igreja? Como está a diocese? Como estão as vocações?’”.


“Até o fim, porque são padres, porque deram a vida pelos outros”, sublinhou para acrescentar em seguida: “O Bom Pastor, o pastor deve ter esta segurança: se ele vai pelo caminho de Jesus, o Senhor lhe estará próximo até o fim”.


Ao concluir, Francisco pediu: “Rezemos pelos pastores que estão no final de suas vidas e que estão aguardando que o Senhor os leve com Ele. E rezemos para que o Senhor lhes dê a força, a consolação e a segurança que, embora se sintam doentes e também sozinhos, o Senhor está com eles”.


Leituras comentadas pelo Papa:


Primeira leitura (2 Timóteo 4, 10-17)


“Porque Demas me desamparou, amando o presente século, e foi para Tessalônica, Crescente para Galácia, Tito para Dalmácia.

Só Lucas está comigo. Toma Marcos, e traze-o contigo, porque me é muito útil para o ministério.

Também enviei Tíquico a Éfeso.

Quando vieres, traze a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos.

Alexandre, o latoeiro, causou-me muitos males; o Senhor lhe pague segundo as suas obras.

Tu, guarda-te também dele, porque resistiu muito às nossas palavras.

Ninguém me assistiu na minha primeira defesa, antes todos me desampararam. Que isto lhes não seja imputado.

Mas o Senhor assistiu-me e fortaleceu-me, para que por mim fosse cumprida a pregação, e todos os gentios a ouvissem; e fiquei livre da boca do leão”.


Evangelho (Lucas 10,1-9)


E depois disto designou o Senhor ainda outros setenta, e mandou-os adiante da sua face, de dois em dois, a todas as cidades e lugares aonde ele havia de ir.

E dizia-lhes: Grande é, em verdade, a seara, mas os obreiros são poucos; rogai, pois, ao Senhor da seara que envie obreiros para a sua seara.

Ide; eis que vos mando como cordeiros ao meio de lobos.

Não leveis bolsa, nem alforje, nem alparcas; e a ninguém saudeis pelo caminho.

E, em qualquer casa onde entrardes, dizei primeiro: Paz seja nesta casa.

E, se ali houver algum filho de paz, repousará sobre ele a vossa paz; e, se não, voltará para vós.

E ficai na mesma casa, comendo e bebendo do que eles tiverem, pois digno é o obreiro de seu salário. Não andeis de casa em casa.

E, em qualquer cidade em que entrardes, e vos receberem, comei do que vos for oferecido.

E curai os enfermos que nela houver, e dizei-lhes: É chegado a vós o reino de Deus.

#PapaFrancisco #Vaticano #Missa #Liturgia

DESTAQUE