• Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
  • Google+ Social Icon

10 respostas às perguntas mais comuns sobre as indulgências


Cidade do México - A poucos dias de terminar o Ano Santo da Misericórdia, a licenciada Alejandra María Sosa Elízaga respondeu, em um artigo publicado por ‘SIAME’, a 10 perguntas mais comuns sobre as indulgências.


A seguir, confira as suas 10 respostas.


1. O que é uma indulgência?

Uma graça que a Igreja concede, pelos méritos de Jesus Cristo, de Maria e todos os Santos, para apagar a pena temporal que permanece como consequência do pecado.


2. A indulgência apaga os pecados?

Não. A indulgência é aplicada aos pecados que já foram perdoados.


3. Por que se o pecado é perdoado, fica uma pena?

Para entendê-lo, cabe colocar este exemplo: Um menino desobedece ao seu pai que lhe pediu para não jogar bola dentre de casa, e quebra a janela. Arrependido, pede perdão. Seu pai o perdoa, mas há uma consequência: deve pagar pelo vidro que ele quebrou. A mãe e os irmãos do menino decidem ajuda-lo, com a permissão do seu pai, a pagar a dívida.

Assim também, o pecado confessado é perdoado, mas fica uma pena que deverá ser paga, assim a nossa Mãe, a Igreja, nos ajuda a pagar com as indulgências.


4. Quantos tipos de indulgências existem?

Duas: “parcial”, que perdoa semente uma parte da pena; e “plenária”, que perdoa completamente a pena.


5. Por quem posso oferecer a indulgência obtida cada dia?

Por você ou por um defunto. Também pode encomendá-la à Maria, para que Ela a distribua a uma alma necessitada. Somente pode ser aplicada às almas que estão no Purgatório; as que estão no Céu, não necessitam e as que estão no Inferno não a aproveitam, pois já não sairão de lá. Como não sabemos se as almas dos nossos defuntos já estão no céu, convém continuar oferecendo indulgências plenárias por elas.


6. Posso pedir a indulgência plenária por outra pessoa viva?

Não.


7. Qual efeito a indulgência plenária produz na alma?

Quando é aplicada a você, liberta da pena temporal de pecados confessados e perdoados, desde o momento do seu Batismo até o dia no qual obtenha a indulgência plenária.

Quando é aplicada a um defunto, é uma grande obra de misericórdia, pois o liberta da pena dos seus pecados perdoados, o que poderia ajudá-lo a sair do Purgatório e ir para o céu. Dizia Santa Catarina de Sena, que as almas que ajude assim estarão eternamente agradecidas, rezarão sempre por você e, ao chegar ao céu, irão recebê-lo.


8. Se uma pessoa que se confessou e obteve a indulgência plenária morresse, iria ao céu?

Sim, sempre e quando não tiver nada que purificar, no sentido de apegos, pecados veniais não confessados (e, portanto, não perdoados).


9. Quantas indulgências posso obter?

Uma por dia.


10. Como posso obter a indulgência plenária?

Deve estar na graça de Deus e ter total rechaço ao pecado (ter se confessado); participar da Missa completa; comungar; rezar pelas intenções do Papa (por exemplo: Pai Nosso, Ave Maria e Credo); e fazer o que a Igreja pedir para receber essa indulgência.


Por exemplo, rezar meia hora diante do Santíssimo exposto; ou ler e meditar a Palavra de Deus durante meia hora; participar devotamente em uma Via Sacra; participar da oração do Santo Rosário em uma igreja; ou, neste Ano Santo da Misericórdia, cruzar uma Porta Santa.


Várias Portas Santas foram abertas, em Basílicas, Catedrais, paróquias e outros lugares, foram fechadas, em todo mundo, no domingo, 13.


Na Basílica de São Pedro, no Vaticano, será fechada quando o Papa encerrar o Jubileu, no dia 20 de novembro.

#AnodaMisericórdia #Indugências

DESTAQUE