• Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
  • Google+ Social Icon

Diocese portuguesa lança serviço para evitar que mulheres pratiquem aborto




Imagem referencial / Foto: Flickr Jack Fussell (CC-BY-NC-ND-2.0)


FATIMA - Como fruto do Ano da Misericórdia, a Diocese de Leiria-Fátima, em Portugal, lançou um projeto que visa a oferecer serviço de apoio para que mulheres grávidas que pretendem praticar um aborto não o façam.


O Serviço de Apoio à Maternidade em Dificuldade (SAMD) foi apresentado no dia 24 de março pela Diocese de Leiria-Fátima, através da Cáritas Diocesana e surgiu de uma proposta de Élia Santiago, médica obstetra no Hospital de Santo André em Leiria.


A especialista verificou, através de um estudo elaborado em 2010 e 2011, que algumas mulheres grávidas decidiam abortar por não terem condições econômicas para ter o filho. Dessa forma, o novo serviço traz como lema “Um filho é um tesouro, Não o perca! Nós ajudamos!”.


Durante o lançamento do serviço, o Bispo de Leiria-Fátima, Dom António Marto, recordou que este projeto surgiu no contexto do Ano Santo da Misericórdia, celebrado em 2015 e 2016.


O Prelado recordou o desejo que o Papa Francisco deixou expresso na Bula da Misericórdia para que, “em cada Diocese, ficasse uma obra marcante de misericórdia, que tornasse visível a bondade de Deus”.


O SAMD, explica a Diocese portuguesa em seu site, irá disponibilizar acompanhamento durante a gravidez e até três anos após o nascimento da criança. Além disso, fornecerá apoio no processo de inserção profissional das mães no mercado de trabalho e na procura de respostas sociais para a integração da criança.


Entre os objetivos do projeto estão: minimizar o impacto econômico de uma gravidez, no seio de uma família com poucos recursos monetários; envolver a família na procura de soluções, de forma a garantir o desenvolvimento de um projeto de gravidez e maternidade consistente e apoiar o crescimento e educação da criança, prestando apoio de acordo com os recursos disponíveis.


Uma equipe técnica de serviço social irá coordenador o trabalho, em colaboração com os serviços da Cáritas Diocesana, assegurando o atendimento às mulheres e famílias que procurem o serviço.


O trabalho contará com o apoio de um Conselho Consultivo, composto pelo vigário geral diocesano e diretor do Departamento da Pastoral Social, pelo presidente da Cáritas Diocesana de Leiria-Fátima, pelos diretores do Departamento da Pastoral Familiar e do Serviço da Pastoral da Saúde da Diocese de Leiria-Fátima, pela técnica responsável pelo projeto e por um médico especialista em ginecologia-obstetrícia.


Segundo o vigário geral diocesano e diretor do Departamento da Pastoral Social, Padre Jorge Guarda, o SAMD já tem estabelecido “contatos com a Segurança Social, a Administração Regional de Saúde, as câmaras municipais e as Instituições Particulares de Solidariedade Social existentes na área geográfica da Diocese de Leiria-Fátima”.


“A resposta tem sido extremamente favorável e prevê-se já a assinatura de alguns protocolos de cooperação”, informou.


Por sua vez, Dom António Marto elogiou os esforços na procura por parcerias junto às entidades autárquicas e associações de solidariedade social.


“Vivemos em uma sociedade complexa e, se queremos ser eficazes naquilo que fazemos, temos de dar as mãos e trabalhar em rede, para fazer o melhor que se pode”, afirmou.

#Fátima #Portugal #Aborto

DESTAQUE