• Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
  • Google+ Social Icon

Principais atentados no Reino Unido desde 2005

06.06.2017

 

Foto: AFP/EAST NEWS

 

Neste sábado à noite (3), Londres foi tomada pelo medo, após os incidentes em London Bridge e em Borough Market, que deixaram pelo menos nove mortos e 20 feridos e foram classificados como atentados “terroristas” pela Polícia.

 

Confira abaixo a cronologia dos principais eventos:

 

– 2005: ataque contra o sistema público de transportes londrino

 

Em 7 de julho, quatro atentados suicidas coordenados e cometidos ao mesmo tempo, no horário de grande fluxo de três ramais do metrô e em um ônibus londrino, deixaram 56 mortos, incluindo os quatro autores. Outras 700 pessoas ficaram feridas. Um grupo que se identificou como integrante da Al-Qaeda assumiu a autoria dos ataques.

 

Quinze dias depois, houve quatro tentativas de atentado com um “modus operandi” similar, de forma coordenada e quase simultânea, também em três linhas de metrô e em um ônibus. Neste caso, porém, as bombas artesanais não explodiram por um erro de cálculo em sua confecção.

 

Segundo a Justiça, as duas séries de atentados estavam relacionadas.

 

– 2007: aeroporto de Glasgow

Em 30 de junho, um carro-bomba cheio de botijões de gás foi lançado contra o principal terminal do aeroporto de Glasgow, na Escócia, muito frequentado no início das férias escolares, sem explodir. Um indiano que dirigia o veículo ficou gravemente queimado. Ele faleceu um mês depois. Seu acompanhante, um médico iraquiano, foi detido. Em 2008, foi condenado à prisão perpétua.

 

Na véspera, dois carros Mercedes Benz com galões de gasolina e pregos foram descobertos estacionados perto do Piccadilly Circus, no coração de Londres. Um problema de conexão no dispositivo detonador impediu que os veículos explodissem, segundo os investigadores.

 

– 2013: morte de um soldado em Londres

Em 22 de maio, dois londrinos de origem nigeriana atropelaram o soldado Lee Rigby, de 25 anos, no sudeste de Londres, para esfaqueá-lo e tentar decapitá-lo. Em um vídeo gravado logo depois da agressão, um dos assassinos declarou que o objetivo era vingar “os muçulmanos mortos por soldados britânicos”.

 

– 2015: estação de metrô de Leytonstone

Em 5 de dezembro, Muhaydin Mire, de 30 anos, nascido na Somália, feriu duas pessoas com uma faca – uma delas gravemente -, na entrada do metrô de Leytonstone, no leste de Londres, dois dias depois dos primeiros ataques aéreos britânicos contra o grupo Estado Islâmico (EI) na Síria. O ataque foi classificado como “terrorista” pelas autoridades. Mire foi condenado à prisão perpétua.

 

– 2017: a ponte de Westminster

Em 22 de março, um homem investiu seu carro contra os pedestres que passeavam perto do Parlamento, antes de matar um policial que fazia a segurança do prédio. Foram cinco mortos, além do agressor, abatido pelos agentes.

 

– 2017: o atentado de Manchester

Em 22 de maio, um atentado na saída de um show da americana Ariana Grande em Manchester deixou 22 mortos e 116 feridos. O ataque foi cometido por um suicida que detonou uma potente bomba nas saídas do pavilhão Manchester Arena, ao final da apresentação.

 

– 2017: o atentado da London Bridge

Em 3 de junho, nove pessoas morreram, em Londres, entre elas três homens relacionados ao ataque que começou com um atropelamento em massa na London Bridge e continuou no Borough Market, onde os suspeitos largaram seu veículo para esfaquear pedestres nessa região de bares. Pelo menos 20 pessoas ficaram feridas. Os agressores foram mortos pela Polícia.

Please reload

DESTAQUE

21 sugestões para viver melhor esta Sexta-Feira Santa

18 Apr 2019

1/10
Please reload

April 18, 2019

April 18, 2019

Please reload