• Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
  • Google+ Social Icon

Papa critica a violência causada por extremistas fundamentalistas


Papa Francisco. Foto: ACI Prensa.


Vaticano - Em uma audiência com os membros da Comissão Mista para o Diálogo Teológico entre a Igreja Católica e a Igreja Assíria do Oriente, o Papa Francisco expressou seu desejo de continuar no caminho da unidade e recordou os cristãos perseguidos, mas também denunciou a violência dos extremistas.


“Podemos olhar com maior confiança o amanhã e pedir ao Senhor que o prosseguimento de vossos trabalhos contribua para aproximar aquele dia abençoado e tão esperado, no qual teremos a alegria de celebrar no mesmo altar a plena comunhão na Igreja de Cristo”.


O Santo Padre sublinhou o valor da Cruz e afirmou que o Crucificado ressuscitado “é a nossa salvação e a nossa própria vida: da sua cruz gloriosa brota a esperança e a paz, dela surge a unidade entre os sagrados mistérios que celebramos, mas também entre nós, que fomos batizados na mesma morte e ressurreição do Senhor”.


Ele também se referiu às perseguições que sofrem atualmente e as violências "perpetradas em nome de extremistas fundamentalistas".


“Situações com este trágico sofrimento acontecem mais facilmente em contextos de grande pobreza, injustiça e exclusão social, normalmente devido à instabilidade, fomentada pelos interesses externos, pelos conflitos, que recentemente provocaram situações de grave necessidade, originando verdadeiros e próprios desertos culturais e espirituais, nos quais é mais fácil manipular e incentivar o ódio”.


Ao mencionar os imigrantes, recordou que muitos enfrentam dificuldades para integrar-se posteriormente na sociedade e pediu que os cristãos estejam atentos a eles.


Francisco se despediu com o desejo de “curar completamente as feridas que no mundo de hoje se abrem pelos desastres das violências e das guerras".

#PapaFrancisco #AtentadoTerrorista #extremismoreligioso

DESTAQUE