• Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
  • Google+ Social Icon

O que a Bíblia determina  para o Dízimo e a Oferta?


II - DÍZIMO - O ensino de I Corintios 16, 2-3


Bem, é possível que você descubra uma excelente forma de planejar, mas eu não encontro melhor forma do que a estabelecida na Bíblia: que é a dádiva do dízimo, reconhecimento de que tudo o que temos pertence a Deus. O dízimo representa a essência da contribuição planejada, ordenada e sistemática e, consequentemente, devemos propor no nosso coração contribuir com o dízimo.


Veja como isso muda a compreensão que tantos têm do versículo que vimos antes? Alguns dizem: o dízimo constrange e retira a alegria da contribuição, quando o ensinamento é justamente o contrário: proponha no seu coração, sistematize sua contribuição e a contribuição fluirá de você sistematicamente, sem constrangimentos, com alegria. Não procure inventar: contribua na forma ensinada pelo próprio Deus ao seu povo.



Um segundo princípio do Novo Testamento, é que Deus espera que a nossa contribuição seja proporcional aos nossos ganhos, ou seja, devemos contribuir proporcionalmente. Encontramos esta lição em 1 Cor. 16.2-3, que diz:


“No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder, conforme tiver prosperado (tiver ganhado), guardando-o, para que não se façam coletas quando eu chegar.”


O ensinamento é, mais uma vez muito claro. É óbvio que Paulo espera uma contribuição sistemática, pois ele diz que ela deveria ser realizada aos domingos (no primeiro dia da semana), que é quando os cristãos se reuniam. O versículo é muito rico em instrução, demonstrando até a propriedade de nos reunirmos e cultuarmos ao Senhor aos domingos, contra os ensinamentos de alguns grupos evangélicos como os adventistas ou sabatistas, testemunhas de Jeová e outros, de que deveríamos voltar ao Velho Testamento e voltarmos a guardar o sábado, o sétimo dia da semana.



Quero chamar a sua atenção, entretanto, para o fato de que São Paulo, pela inspiração do Espírito Santo, nos ensina que temos que contribuir conforme Deus permitir nossos ganhos, ou seja, conforme, na mesma medida, na mesma proporção, de acordo, com os nossos rendimentos. Essa é a grande forma de justiça apontada por Deus: as contribuições devem ser proporcionais, ou seja um percentual dos ganhos. Assim, todos contribuem igualmente, não em valor, mas em percentual. É uma forma bíblica de Justiça Distributiva.



Joaquim Accioly-Meac


Dízimo: www.meac.com.br

#Dízimo #Evangelização #IgrejaCatólica

DESTAQUE