• Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
  • Google+ Social Icon

Como o Colégio de Cardeais mudará em 2019?

05.01.2019

 

Cardeais na Basílica de São Pedro. Foto: Jeffrey Bruno / ACI Prensa

 

Vaticano - O Colégio Cardinalício é composto atualmente por 224 cardeais, dos quais 124 têm menos de 80 anos de idade e, portanto, têm o direito de votar em um futuro conclave para eleger o Papa.

 

Neste ano de 2019, dez cardeais eleitores atingirão o limite de idade e, por isso, não poderão participar da próxima eleição pontifícia, de acordo com a norma estabelecida pelo Motu Proprio de São Paulo VI Ingravescentem aetatem.

 

O primeiro cardeal que fará 80 anos em 2019 será o Cardeal Alberto Suárez Inda, Arcebispo Emérito de Morelia (México), no dia 30 de janeiro. Ele foi criado Cardeal pelo Papa Francisco no consistório de fevereiro de 2015.

 

Em 11 de março, será o aniversário de 80 anos do Cardeal Orlando Beltran Quevedo, Arcebispo Emérito de Cotaboto (Filipinas), que foi criado Cardeal pelo Papa Francisco em 22 de fevereiro de 2014.

 

No mês seguinte, em 8 de abril, deixará de ser eleitor o Cardeal Edwin O'Brien, Arcebispo Emérito de Baltimore (EUA) e, atualmente, Grão-Mestre da Ordem do Santo Sepulcro. O Cardeal recebeu o barrete das mãos do Papa Bento XVI em 18 de fevereiro de 2012.

 

Poucos dias depois, em 27 de abril, fará 80 anos o Cardeal Stanislaw Dziwisz, Arcebispo Emérito de Cracóvia (Polónia), que foi secretário pessoal de São João Paulo II por mais de 40 anos. Foi criado Cardeal pelo Papa Bento XVI em 24 de março de 2006.

 

Em 31 de julho, o Cardeal John Tong Hon, Bispo Emérito de Hong Kong (China), não terá mais o direito de voto. O Cardeal recebeu o barrete das mãos do Papa Bento XVI em 18 de fevereiro de 2012.

 

No mês seguinte, em 16 de agosto, o Cardeal Seán Baptist Brady, Arcebispo Emérito de Armagh (Irlanda), completa 80 anos. Foi criado Cardeal pelo Papa Bento XVI em 24 de novembro de 2007.

 

Posteriormente, em 7 de outubro, o Cardeal Laurent Monsengwo Pasinya, Arcebispo Emérito de Kinshasa (República Democrática do Congo) perderá o seu direito ao voto. O Cardeal recebeu o barrete das mãos do Papa Bento XVI em 20 de novembro de 2010.

 

Quatro dias depois, em 11 de outubro, será o aniversário de 80 anos do Cardeal Zenon Grocholewski, Prefeito emérito da Congregação para a Educação Católica, criado Cardeal por São João Paulo II em 21 de fevereiro de 2001.

 

Em 14 de outubro, será a vez do Cardeal Edoardo Menichelli, Arcebispo Emérito de Ancona-Osimo (Itália), criado Cardeal pelo Papa Francisco em 14 de fevereiro de 2015.

 

Finalmente, no dia 15 de outubro será aniversário de 80 anos do Cardeal Telesphore Toppo, Arcebispo Emérito de Ranchi (Índia), criado Cardeal por São João Paulo II no consistório de 21 de outubro de 2003.

 

Deste modo, o número de cardeais eleitores no final de outubro de 2019 será 114. Seriam 48 da Europa, 15 da América, 14 da Ásia e 15 da África. Nos primeiros meses de 2020, mais dois cardeais eleitores farão 80 anos, por isso, pode-se esperar que no final do ano, talvez por ocasião da Solenidade de Cristo Rei, o Papa Francisco convoque um consistório para a criação de novos cardeais.

 

As nomeações do Papa são imprevisíveis. Por enquanto, existem dois chefes de dicastérios da Cúria Romana que ainda não são cardeais: o Arcebispo Filippo Iannone, presidente do Conselho Pontifício para os Textos Legislativos, e Dom Rino Fisichella, presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização.

Please reload

DESTAQUE

21 sugestões para viver melhor esta Sexta-Feira Santa

18 Apr 2019

1/10
Please reload

April 18, 2019

April 18, 2019

Please reload